segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Trump anuncia adventista Ben Carson como secretário de Habitação


O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira (5) a nomeação de Ben Carson, o neurocirurgião aposentado que disputou as primárias republicanas, como secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, ao retomar as consultas para a formação de seu gabinete.

Carson, um negro conservador profundamente religioso e que teve um bom momento durante as primárias republicanas, não tem experiência em políticas de habitação, mas citou sua infância em um bairro pobre de Detroit como credencial para o posto. Primeiro afro-americano nomeado para integrar o governo de Trump, que toma posse em 20 de janeiro, Carson "tem uma mente brilhante e é apaixonado por fortalecer comunidades e famílias dentro destas comunidades", afirmou o presidente eleito em um comunicado.

Serenidade
Carson liderou por um breve momento a primária republicana, com uma imagem serena e de fala pausada, um contraste com a disputa vociferante que acontecia ao seu redor. Sua candidatura, que inicialmente recebeu apoio entre os cristãos conservadores, perdeu fôlego pela falta de propostas e respostas claras sobre temas importantes.

O neurocirurgião aposentado, integrante da Igreja Adventista do Sétimo Dia, se apresentara como uma alternativa ao furioso Trump, pregando tolerância e compromisso. Trump o criticou sem trégua durante as primárias, ao acusar o adversário de ter um caráter "patológico". Mas Carson aderiu à campanha do magnata depois de abandonar a disputa em março, descrevendo o ex-rival como "um homem muito inteligente e profundamente interessado pelo país". Ben Carson levou Trump a um visita aos bairros marginalizados de Detroit em setembro, quando o agora presidente eleito tentava melhorar sua imagem entre os eleitores da comunidade negra. E saiu em defesa de Trump após a divulgação de um áudio de 2005 em que o republicano celebrava o fato de apalpar as mulheres.

Sonho americano 
A história de Carson, 65 anos, é o padrão do sonho americano: nasceu pobre, foi criado por uma mãe analfabeta que se casou aos 13 anos e que foi abandonada pelo marido. Estudante exemplar, ganhou bolsa da Universidade de Yale e estudou na Faculdade de Medicina da Universidade de Michigan. Aos 33 anos se tornou diretor de Neurocirurgia Pediátrica da Universidade Johns Hopkins. Recebeu aclamação mundial em 1987 ao realizar a primeira operação que teve sucesso para separar siameses unidos pela cabeça. Se aposentou em 2013 e passou ser conhecido nos círculos conservadores, com o discurso de como a fé e os valores familiares o ajudaram a superar as dificuldades e a realizar seu sonho. Sempre fala sobre a responsabilidade individual, o que o levou a criticar o estado de bem-estar, que segundo ele cria uma dependência entre os mais pobres. 

Em 2008, chegou a receber do então presidente George W. Bush a Medalha da Liberdade, a maior honra civil do país. Carson também é autor de vários livros. Entre suas obras mais conhecidas publicadas em português estão Risco Calculado, Sonhe Alto e a autobiografia Ben Carson.

[Com informações de G1 e Agence France-Presse]

24 comentários:

  1. Orgulhosa de ter um representante Adventista na equipe de Donald Trump. Boa sote Dr Carson.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, Trump é surpresa seguindo a outra em suas decisões, é um gestor que engana todo mundo em suas ações, e será assim cheio de surpresas até o fim de seu governo.

    ResponderExcluir
  3. Não gostei. Esou muito apreensiva com a notícia.

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente isso não me causa nenhuma perspectiva positiva em mim no sentido de que isso seja algo a se orgulhar. O fato dele ser Adventista não muda em nada as profecias no que diz respeito aos últimos dias e tão pouco impedirá a união da religião com o poder (quem lê entenda), religião e governo unidos, a história já nos conta o que isso resulta, talvez isso até de certa forma ajude para que isso aconteça. Não estou querendo dizer que isso acontecerá agora no governo do Trump e nem que isso terá o dedo do Bem Carson, espero que não, mas o certo é que irá acontecer, as profecias irão se cumprir e cada fato importante levará a isso. Acho triste qdo vejo cristãos ligados no "automático" que pensam é Adventista então isso será bom, logo é Deus no comando. Complicado achar que tudo que vem da organização Adventista seja 100% bom, como se suas opiniões fossem sempre vinda de Deus. Não é isso o que a igreja católica faz?? Não é esse o pecado da blasfêmia?? Acho muito difícil qualquer pessoa, seja quem for, independente do país chegar em um cargo de grande relevância política sem ter que se envolver em algo errado. É óbvio que quando Deus quer ninguém impede, mas se tratando dos EUA e de seu papel nos acontecimentos finais bem como a união desse poder com a religião, prefiro ver o que virá do que apertar o botão automático e comemorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão vc está certo quando diz que nada no plano humano altera o cumprimento da profecia, mas sinto tendeciosidade da sua parte quando coloca em cheque os valores da Igreja Adventista, e ainda a compara com o catolicismo e suas condutas ante bíblicas históricas. Os Adventistas enquanto instituição nunca tiveram nenhuma conduta que ñ fosse baseada nas santas escrituras.

      Excluir
    2. Renato, pela sua postura, me parece que se você vivesse nos dias de José ou Daniel, provavelmente também os criticaria.

      Excluir
    3. Me desculpe mas achei ridícula a insinuação de que ele fez algo errado para chegar onde chegou. Eu acho importante que pessoas de princípios ocupem cargos importantes como este. Não vi esta enquete procurando mostrar que Carson vai impedir o cumprimento da profecia, mas fico feliz por nossos irmãos norte - americanos. Muito estranho esse comentário.

      Excluir
    4. Você conhece certamente a história de Daniel e sua trajetória política no Reino da Babilónia, Pérsia....

      Excluir
    5. Renato Oliveira Silva,
      Eu concordo com quase tudo oq vc disse. Eu moro nos Estados Unidos e estou apavorada com a eleição deste verme. Quanto ao Ben Carson, ele não é político, mas um homem de honra e um cristão exemplar. Agora lembra-se daquele pequeno lance de e até os escolhidos serão enganados? Eu perdi o respeito por Ben Carson pois apenas dias depois q ele deixou a candidatura, ele endorsou esse demônio. Quem está defendendo e achando q o Ben Carson vai fazer alguma diferença na presidência do Trump, por ser Adventista, lembre-se de q o Trump disse q ele não precisava de Deus pra governar, ele disse q ele mesmo era deus, isso no início, quando as pessoas achavam q a candidatura dele era piada. E mais no final ele disse q ele 'sozinho' podia governar e concertar o País.
      Putz, acabou a minha vontade de falar desse lixo.
      Um bom restante de semana pra quem estiver lendo.

      Excluir
    6. Isto parece mostrar que está cada vez mais longe a fantasia de um DECRETO DOMINICAL

      Excluir
  5. Concordo com a opinião do Renato, mas também pode ser uma oportunidade para Carson alcançar mais pessoas para o Reino Celestial, pessoas estas que talvez se não for ele nunca venha a conhecer o verdadeiro Deus, vejo o trabalho de Carson como de um jardineiro que em cada habitação possa plantar uma sementinha de esperança, não de dias melhores aqui na terra mas dá esperança de dias melhores lá no céu.

    ResponderExcluir
  6. Deus tem um proposito para todoas as coisas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sabe Amós penso da mesma maneira.. há pessoas que dizem que religião isso religião aquilo.. Se Deus o colocou ali é por que Ele sabe o que fazer... há muitas pessoas que estão dizendo isso e aquilo mas nem são americanos... no que isso vai influenciar na vida de vcs brasileiros? os americanos que tem q estar preocupados e não nós.. mas que isso é uma boa noticia é...

      Excluir
  7. Renato Oliveira disse tudo!! Quem tem ouvidos que ouça e o resto que se façam de surdos.

    ResponderExcluir
  8. Engraçado falar de ligado no automático, só vi pessimismo e negativismo sobejantes... enquanto a inevitável cadeia profética não se cumprir façamos o melhor em nosso alcance para melhorar o mundo em vivemos. Ser sal e luz em todos os lugares. Ele foi chamado para a função. Como ele um outro grupo de homens bíblicos também foram escolhidos dentro dos planos de Deus. Acho que devemos fugir dos dois extremos desconexão do quadro escatológico e por outro lado do fatalismo que impede de um serviço ativo e em todas as frentes.

    ResponderExcluir
  9. Deus sabe, Deus ouvi, Deus vê, nada lhe passa por despercebido... Ben foi eleito para executar um trabalho patriota, no entanto cabe a ele manter sua luz acesa, brilhar em meio a escuridão... Não há motivos pra festejar, nem para se enraivecer, nem para criticas enfurecidas.
    Assim como Daniel no reinado de Babilonia, manteve sua chama acesa, ele pode fazer o mesmo...

    ResponderExcluir
  10. Deus sabe, Deus ouvi, Deus vê... Nada lhe pode surpreender... Ben foi escolhido para um cargo patriótico, tudo que ele precisa fazer é manter a sua pequena luz acesa em meio a escuridão... Assim como Daniel no reinado de Babilônia manteve sua chama a todo custo...

    ResponderExcluir
  11. Deus sabe, Deus ouvi, Deus vê...
    Assim como Daniel em Babilônia manteve sua luz a toda prova... Ben foi eleito para um cargo patriótico. Ele só precisa manter sua luz brilhando em meio a escuridão...

    ResponderExcluir
  12. Não nos cabe julgar. Se o Dr. Carson coloca seus planos nas mãos de DEUS, e Trump foi tocado para que ele faça parte de seu governo, oremos para que o plano de DEUS se cumpra.

    ResponderExcluir
  13. religião e politica não da certo!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Se mudasse alguma coisa,o Brasil já tava bem, com essa tal bancada evagelica...são tudo vendido.

    ResponderExcluir
  15. O José do Egito do Momento . Parabéns tenha certeza não decepcionará.

    ResponderExcluir
  16. Deus colocou diversas pessoas no poder pra alcançar algo, não sabemos o tempo de Deus, algo maravilhoso poderá ou não surgir por Dr. Carson está lá. Não é pq um político é mal que não poderá ser influenciado para o bem por aqueles que o cercam. Exemplo disso podemos citar Daniel e rei Dario que viu o testemunho vivo e reconheceu a soberania de Deus. O que podemos fazer é orar e evitarmos de ficar especulando algo que nem aconteceu e que as profecias irão se cumprir, independemente de quem esteja lá, mas se pudermos viver um momento melhor que vivamos, senão, paciência, vamos orar que esse sim ter que ser o nosso respirar da alma!!!

    ResponderExcluir
  17. se ele foi indicado pelo presidente, ´´e porque Deus tem um proposito para isso, não nos cabe julgar os designios de Deus, e sim aceitá-los. Não cai uma folha sem a permissão de Deus.

    ResponderExcluir