sábado, 4 de junho de 2016

Muhammad Ali morre aos 74 anos - Não se glorie o forte na sua força


Após 32 anos de luta contra o Mal de Parkinson, o lendário Muhammad Ali, ex-boxeador e ex-campeão dos pesados, morreu nesta sexta-feira (3), aos 74 anos, em Phoenix, Arizona, EUA. (G1)
"Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu sou o Senhor." Jeremias 9:23, 24
Cassius Clay, ou Muhammad Ali, o famoso campeão mundial de boxe na categoria dos “pesos-pesados”, morou na cidade de Berrien Springs, onde está localizada a Universidade Andrews, mantida pela Igreja Adventista. Curioso é que sua propriedade estava ao lado da casa de um amigo brasileiro, que na época estudava na Andrews. Ali era então famoso, conhecido como “The Greatest” (O maior), ou “Number One” (Número Um). Algumas vezes, indo visitar nossos amigos, olhávamos através dos portões de ferro, na tentativa de ver o celebrado ícone da cultura esportiva. Nunca o vimos. Dizia-se que ele tinha, próximo à sua casa, num celeiro, um ringue para treinos, cercado com capas de revistas de todo o mundo, artigos de jornais e outros troféus de seus tempos de glória. Das 61 lutas de sua carreira, ganhou 56.

A última vez que vi Muhammad Ali, na televisão, foi na abertura dos Jogos Olímpicos nos Estados Unidos, há alguns anos. Como um dos atletas mais famosos do século 20, ele foi escolhido para acender a tocha em Atlanta. Estava consideravelmente desfigurado, envelhecido e em avançado estágio do mal de Parkinson. Mãos trementes, passos arrastados e voz quase inaudível. Um estranho contraste com o grande atleta de outros tempos, forte e sorridente, um campeão invencível, absolutamente seguro de si, tendo nas mãos medalhas de inúmeras vitórias.

É diante da incerteza de nossos triunfos que o texto de hoje faz uma sábia sugestão: “Não se glorie […] o forte na sua força.” Nossos idolatrados troféus são, em sua maioria, atributos do tempo e das circunstâncias. Como o tempo e as circunstâncias mudam, eles estão destinados a ser subvertidos. Você tem um corpo forte que os outros não podem desafiar? Isso mudará. Você tem beleza física que pode ser utilizada para impressionar outros? Tempo e gravidade serão os anjos vingadores de tal atributo. Você é esperto o suficiente para manipular as pessoas? O que acontecerá quando você estiver muito velho ou cansado demais para usar sua esperteza? Você se gloria em cargos e posições? Eles também vão passar.

Verdadeira grandeza vem apenas como resultado do conhecimento de Deus e de seus derivados: amor, solidariedade e serviço.

Pr. Amim A. Rodor - Meditações Diárias "Encontros com Deus", p. 139

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...