quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

O que é jejum espiritual e por que praticá-lo?


O jejum espiritual é uma das principais ferramentas para a comunhão com Deus. Mas o que significa? Simplificando, é a abstenção de alimento para finalidades espirituais. O objetivo é conduzir uma pessoa à plena lucidez espiritual e facilitar a profunda comunhão com Deus, pois o organismo não utilizará energia para a digestão, de modo que o cérebro terá mais energia para refletir nas coisas espirituais. Como prática religiosa, é voluntário, exige pureza de vida e exclui a exibição.

Para quem é indicado?
1) Para quem tem medo. Existem muitas coisas na vida que nos provocam medo: desemprego, doenças, fome, pessoas más… O jejum proporciona especial oportunidade para íntima comunhão com Deus. A amizade com o Senhor Jesus traz paz e segurança ao coração. (2 Crônicas 20:3, 4).

2) Para quem está arrependido. O arrependimento é obra milagrosa do Espírito Santo. Se o coração encontra-se aflito e há dúvida sobre o perdão divino, faça um jejum. Você terá, na ocasião, espaço ideal para reflexão e leitura da Bíblia. Sendo assim, Deus o fará sentir Seu perdão e promoverá alívio à alma. (1 Samuel 7:6, Jonas 3:5).

3) Para quem busca a conversão. Converter-se significa mudar de direção. Deus deseja nos manter sempre em Seu caminho. Ao povo de Israel, o Senhor solicitou jejuns para levá-lo ao quebrantamento do coração e conduzí-lo à conversão. Faça jejum periodicamente e busque maior comunhão com Deus. (Joel 2:12).

4) Para quem necessita de uma resposta divina. A ação de jejuar o colocará numa condição de entrega a Deus, e o tornará sensível para discernir Suas respostas. ( Ester 4:16).

5) Para quem deseja humilhar o coração. O jejum é um excelente antídoto para o orgulho que deseja instalar-se no íntimo. Por meio dele percebemos que somos completamente dependentes de Deus. (Esdras 8:21, Salmo 35:13).

6) Para quem enfrenta forte provação. Jesus sentia-se fortalecido pelo jejum. Ao enfrentar as terríveis tentações de Satanás, encontrava-se plenamente lúcido. O exemplo de Jesus deve ser seguido. Ao enfrentar tentações ou provações, faça do jejum uma das principais armas espirituais. (Mateus 4:1, 2).

7) Para quem precisa do poder. O jejum precisa resultar em “poder” para quebrar todas as cadeias do mal e libertar os aflitos de alma.

8) Para quem decidiu entregar-se a Deus. O jejum é fundamental para uma vida santa e piedosa diante do Senhor. Todo clamor é ouvido por Deus. (Joel 1:14).

9) Para compreender a Palavra de Deus. Quando se tem alguma dúvida bíblica, o jejum oferece maior facilidade para o estudo e a iluminação do Espírito Santo. O entendimento será aberto pelo Espírito, que o guiará por toda a Verdade.

Como jejuar?
1. Defina o objetivo: peça ao Espírito Santo que mostre claramente a direção e os objetivos para o seu jejum e oração.

2. Faça o seu compromisso: qual a duração do jejum? De meio dia, dia inteiro ou mais? Que tipo de jejum você vai adotar? Tomando apenas água, água e sucos, comendo apenas frutas… Quanto tempo você dedicará à oração e à leitura da Bíblia? De que atividades físicas ou sociais você irá abster-se? Idas a shoppings, TV, Internet…

3. Prepare-se espiritualmente: peça a Jesus perdão por todos os seus pecados e clame pelo batismo do Espírito Santo.

4. Avalie sua condição física: se tiver algum problema de saúde, consulte um médico para saber qual o tipo de jejum ideal pra você.

5. Termine o jejum gradualmente: não coma comidas sólidas imediatamente após o jejum. Se você terminar o jejum aos poucos será melhor para a sua saúde.

6. Programe o próximo jejum: assim como precisamos de um novo enchimento do Santo Espírito diariamente, também precisamos de novos períodos de jejuns perante Deus.

O jejum que Deus não aceita
1. Por orgulho ou penitência: “dizendo: por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto” – Isaías 58:3, 4.

2. Praticar o jejum para exibir cristianismo: provocar intrigas e visar interesses egoístas não é aceitável a Deus. O que deveria ser uma bênção, torna-se então uma maldição.

3. O jejum não pode ser uma espécie de “justificação pelas obras”: ou seja, “vou jejuar e me salvar”. A salvação vem unicamente pela fé em Cristo Jesus. O jejum deve ser útil apenas como instrumento de uma busca mais profunda pelo Salvador.

O Senhor Deus deseja conceder-lhe um vigoroso discernimento espiritual, novas percepções de Sua glória e desenvolver em você a fé incondicional. Faça um plano pessoal de jejum. Você se sentirá física, mental e espiritualmente fortalecido, e entenderá claramente as respostas que Deus concede às suas orações.

Texto extraído do livro “Alcance o Poder” de Manassés Queiroz
"O espírito do verdadeiro jejum e oração é o espírito que rende a Deus mente, coração e vontade." (Ellen G. White - Manuscrito 28, 1900)

8 comentários:

  1. Muito interessante, esclareceu minhas dúvidas sobre o assunto. Grata.

    ResponderExcluir
  2. Interessante, esclareceu minhas dúvidas sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o blog. Realmente me esclareceu muita coisa. Glória e Hosana nas alturas ao SENHOR!

    ResponderExcluir
  4. Valdir Firmino da Silva4 de fevereiro de 2017 12:40

    Ótimo esclarecimento!

    ResponderExcluir
  5. muito importante na vida de um cristão.

    ResponderExcluir