segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O significado do 666

“Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é o número de um homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.” (Ap 13:18)
Esse misterioso número – seiscentos e sessenta e seis – tem criado muito tipo de especulação entre os estudiosos da Bíblia. Para conhecer o significado desse número, é preciso conhecer algo de numerologia bíblica. Diferentemente da numerologia ocultista, que concede aos números poder para determinar o rumo e destino das pessoas e coisas, a numerologia bíblica é apenas simbólica.

O número sete, por exemplo, é símbolo de perfeição. Impressiona-nos o fato de que Deus abençoou o sétimo dia da semana e o reservou como sagrado, inteiramente pertencente a Ele. O número sete é mencionado 323 vezes na bíblia e, em todas elas, refere-se a Deus e Suas obras de misericórdia e de juízo. O número sete é símbolo de Deus, de Seu poder e de Seu governo.

Já o número seis é mencionado 92 vezes na Bíblia. Em todas elas se relaciona com o homem, sua natureza, suas obras, sua herança e seu destino. Por exemplo: desde a criação, o ser humano deveria trabalhar seis dias. O sétimo era de Deus. A Bíblia diz que o homem foi criado no sexto dia, e a partir dali, o número seis foi sempre símbolo do homem, e se relaciona com sua imperfeição. O ser humano só seria perfeito relacionando-se com seu Criador, simbolizado pelo número sete.

Sete é o número perfeito. Pertence a Deus e, portanto, simboliza o ideal divino. Seis é símbolo daquilo que não alcança a divindade. É símbolo do homem. Aproxima-se do número sete, mas nunca poderá alcançá-lo. Existe um abismo enorme entre o homem – identificado com o número seis da imperfeição – e o seu Criador, identificado com o número sete, completo e perfeito.

Portanto, se queremos identificar o símbolo do número 666, não podemos fazê-lo levados pelo fanatismo irracional e premeditado, tentando atribuir a essa ou àquela pessoa o título da besta de Apocalipse 13. Existe um poder político/religioso. E esse poder é identificado, além de outras características, pelo número 666.

É o número seis repetido três vezes. Seis é o símbolo do homem, existe neste poder um esforço humano desesperado e intensificado para alcançar a perfeição divina. Pretende ser Deus, mas não o é. Atribui-se prerrogativas divinas, mas não as tem. Exige dos homens adoração, mas não passa de um poder humano. Pode fazer o que quiser; exigir o que desejar, mas não passa de um ser humano. É um engano que leva os homens a aceitarem o humano em lugar do divino. Que tranquiliza as consciências dos homens, fazendo-os crer que servem a Deus, quando, na realidade, são súditos do inimigo, que vem disfarçado de religioso.

O número 666 parece apontar uma rejeição final da humanidade em adorar o Criador e reconhecer Seu memorial – o sábado. O livro de Gênesis nos mostra que somos completos apenas em nosso Criador. O alvo da criação é Deus conosco e nós com Deus. Assim é o sábado. Ele mostra nossa inteireza somente em Deus, nosso Criador. 
"O sinal, ou selo, de Deus é revelado na observância do sábado do sétimo dia - o memorial divino da criação. A marca da besta é o oposto disso - a observância do primeiro dia da semana. Deus concedeu aos homens o sábado como sinal entre Ele e eles, como uma prova da fidelidade deles. Os que, na grande crise que está perante nós, depois de receberem iluminação no tocante à lei de Deus, prosseguem desobedecendo e exaltando as leis humanas acima da de Deus, receberão o sinal da besta." (Ellen White, Eventos Finais, 225)
Assim sendo, a marca da besta tem que ver com relacionamento, fé, amor e obediência. Qualquer pessoa pode receber literalmente o número 666 na fronte ou na mão. Porém, isso não significa que tem a marca da besta. O assunto não tem a ver com marcas literais em nosso corpo. A questão real é adoração; entrega de mente, coração e tudo o mais a Deus. É sobre quem Ele é e como Ele é.

Vejamos também a explanação do professor Leandro Quadros sobre esse assunto:

6 comentários:

  1. "E o peso do ouro que se trazia a Salomão cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro."
    1 Reis 10:14

    ResponderExcluir
  2. Tudo no adventismo acaba no sábado.

    ResponderExcluir
  3. Sábado mandamento do senhor pecado "transgressão da lei de Deus"

    ResponderExcluir
  4. Professor, Ellen White se enganou ao escrever que o selo de Deus é sábado. Onde está escrito na palavra de Deus que o selo é o sábado? Meu irmão, essa senhora fez uma falsa interpretação sobre o Selo. Mas posso lhe provar na bíblia que, o selo de Deus é o Espírito Santo. Aguardo seu retorno. O Senhor lhe conceda graça e paz em nome de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Selo, sinal ou marca é a mesma coisa. Não foi Ellen White quem disse ser o sábado selo de Deus, mas foi Ezequiel 20:12 e 20:20. Leia a Bíblia!

      Excluir