quinta-feira, 4 de maio de 2017

Arqueólogos acham fortes evidências da Torre de Babel

Os estudiosos bíblicos há muito debatem se a Torre de Babel realmente existiu. Agora, uma inscrição antiga feita em pedra fornece uma evidência notável a seu favor.

No meio dos restos frágeis da famosa cidade de Babilônia, onde hoje é o moderno Iraque, há uma vasta estrutura que registros históricos sugerem ter sido a Torre de Babel. No entanto, não tínhamos realmente algo que comprovasse tal “lenda” – até que o Dr. Andrew George, da Universidade de Londres (Reino Unido), examinou um antigo tablete de pedra e descobriu uma imagem que revela exatamente como a torre se parecia no passado.

De acordo com o Dr. George, esta é uma forte prova de que a história bíblica da Torre de Babel foi inspirada por este edifício real. A pedra data do século 6 aC, e foi encontrada na Babilônia um século atrás. Sua importância havia passado despercebida todo este tempo.

No vídeo abaixo, o Dr. George analisa a inscrição. Ela exibe um relevo com o desenho de uma torre de degraus e uma figura humana grande, carregando um bastão e usando um chapéu cônico.

 

A legenda deste relevo informa que o desenho se trata de um “zigurate ou templo-torre da cidade de Babilônia”. Essa é a primeira vez que uma inscrição histórica confirma a visão que temos desta estrutura mesopotâmica de patamar, com sete camadas, além de identificar o governante por trás dela: o famoso rei Nabucodonosor II.

Além do notável desenho, o tablete de pedra também descreve a construção da megaestrutura, revelando o envolvimento de toda a região – habitantes do “Mar Alto” (que seria o Mediterrâneo) ao “Mar Baixo” (que seria o Golfo Persa). Isso estaria de acordo com a história que a Bíblia conta sobre a criação da torre. Logo, é bastante provável que Babel tenha sido um edifício de verdade da antiguidade, e não uma ficção. [Com informações de Hypescience / SmithsonianMag]
"Naquele tempo todos os povos falavam uma língua só, todos usavam as mesmas palavras. Alguns partiram do Oriente e chegaram a uma planície em Sinar, onde ficaram morando. Um dia disseram uns aos outros:
— Vamos, pessoal! Vamos fazer tijolos queimados!
Assim, eles tinham tijolos para construir, em vez de pedras, e usavam piche, em vez de massa de pedreiro. Aí disseram:
— Agora vamos construir uma cidade que tenha uma torre que chegue até o céu. Assim ficaremos famosos e não seremos espalhados pelo mundo inteiro.
Então o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que aquela gente estava construindo. O Senhor disse assim:
— Essa gente é um povo só, e todos falam uma só língua. Isso que eles estão fazendo é apenas o começo. Logo serão capazes de fazer o que quiserem. Vamos descer e atrapalhar a língua que eles falam, a fim de que um não entenda o que o outro está dizendo.
Assim, o Senhor os espalhou pelo mundo inteiro, e eles pararam de construir a cidade. A cidade recebeu o nome de Babel, pois ali o Senhor atrapalhou a língua falada por todos os moradores da terra e dali os espalhou pelo mundo inteiro." (Gênesis 11:1-9 NTLH)
Leia também o capítulo 10 "A Torre de Babel" do livro Patriarcas e Profetas de Ellen G. White.

6 comentários:

  1. O relato claramente trata de uma etiologia, um mito que explica o porque das coisas, neste caso ela explica o porque dos povos terem diversas linguás. No entanto é importante salientar que no relato bíblico, já existiam diversas linguás antes da torre. Outro ponto curioso é a necessidade do deus descrito manter o homem na ignorância e na desunião, além é claro do absurdo de uma torre que toca o céu oque só faz sentido numa terra em que o céu é duro como espelho de bronze.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk...grande ideia, parece q leu muito a bíblia...sobre a pedra o que tens a dizer?

      Excluir
  2. Nabucodonosor 2 ao lado da Torre de Babel? Tem alguma coisa errada aí... Se fosse Ninrode, faria mais sentido... O que vemos aí parece mais um gigante, nefilim...

    ResponderExcluir
  3. Pelo que entendi. No caso dá a entender que teria sido pelos babilonios muito posterior da Babel biblica não?
    Mas se não engano há outras evidencias que colocam que no passado houve um idioma comum.

    ResponderExcluir
  4. Se so existia dois povos os descendentes de sete e os de Caim como é os dois povos vindo do mesmo pai como pode ter várias línguas se o relato bíblico diz que só tinha um idioma e por outro lado não era da vontade de Deus que o povo ficace aglomerado e sim se dispersase para prégar e outro detalhe Deus já tinha avisado que não ia destruir mais a terra com água Deus só lembrou o povo que é ele que está no controle e.

    ResponderExcluir
  5. há dias tentei responder pelo celular mas não deu certo, hoje me lembrei e aqui volto.
    Há algo muito errado nesta "gde descoberta", ela não se encaixa na cronologia bíblica, esta descoberta coloca Daniel num tempo anterior ao Gênesis.
    O filho de Nabucodonosor foi Nabonido e seu neto Belsazar (Daniel 5).
    E quando a Medo-pérsia invadiu Babilônia e a centenas de anos já haviam muitos idiomas diferentes.
    Esta descoberta pode ser de outra construção ou simplesmente um relato do eles sabiam à respeito da torre de babel.

    ResponderExcluir