quinta-feira, 30 de julho de 2015

Sinal profético? Rio Eufrates está secando rapidamente

"E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente." Apocalipse 16:12
Mencionado em Apocalipse 16 como a consequência da sexta taça que marca o juízo final, o rio Eufrates está secando rapidamente. A baixa do nível está perto de alcançar um recorde histórico. Algo impensável alguns séculos atrás, a drenagem vem sendo acompanhada por estudiosos na última década. A NASA acompanha isso pelas imagens dos satélites. Desde 2009 a região apresenta a segunda maior perda de volume de água doce do planeta.

Na verdade, toda a região conhecida como “Jardim do Éden” está sofrendo os efeitos da disputa de Iraque e Turquia por água potável. Localizado no Iraque, os pântanos mesopotâmicos atingiram os seus níveis mais baixos. O principal motivo foi que o outrora gigantesco Eufrates, foi reduzido a um mero córrego. O rio Tigre já perdeu cerca de 40% de seu tamanho.

A queda contínua dos níveis de água tem provocado uma crise hídrica. “É trágico”, diz Hassan Janabi, funcionário do departamento iraquiano responsável pela água. “Isso aconteceu de forma inesperada. Na verdade, nosso foco estava todo na luta contra o terrorismo, por isso passou despercebido.”

Na semana passada, os níveis de água na cidade de Al Chabaish estavam na metade dos níveis normais para essa época do ano. Jassim Al-Asadi, que trabalha numa ONG que luta pela conservação, afirma: “A quantidade de água do Eufrates que chega até os pântanos é menos de um décimo do que o necessário”. Isso está acontecendo embora o nível de chuvas esteja normal.

A doutora Suzanne Alwash, especialista no assunto e docente no Mt San Antonio College, em Walnut, Califórnia, afirma: “A salinidade dobrou, os búfalos d’água já não podem beber dos pântanos e a morte dos peixes já é comum”.

O comitê sobre agricultura e água do parlamento iraquiano responsabilizou a Turquia pela crise hídrica. O governo turco decidiu construir hidrelétricas que estão bloqueando os trechos superiores do rio. Ao todo, existem sete represas no Eufrates na Turquia e na Síria.

O governo do Iraque também culpa o grupo terrorista Estado Islâmico, que em maio tomou a barragem de Ramadi e está prestes a tomar a represa Haditha, o que daria ao EI o controle total do Eufrates no Iraque. Uma reportagem do canal CNN mostrou recentemente que o EI já ameaçou secar o Eufrates para fins militares.

Um terceiro responsável é o próprio governo iraquiano, que desviou água do Eufrates para irrigar os campos de arrozeiros da área, que apoiam o governo.

Para os estudiosos é uma questão de tempo até o nível de água ser insuficiente para regar as plantações de toda a Mesopotâmia, o que causará uma grande fome na região. Esse cenário, não por coincidência, também é citado no sexto capítulo de Apocalipse.

Com informações de News Cientist e Shoebat via Gospel Prime

Nota de Gilberto Theiss: Não é desta forma que interpretamos a profecia referente ao rio Eufrates, mas pode servir de apoio para entendermos que estamos realmente no limiar da história humana de pecado. 
Na profecia bíblica (Ap 16:12), o rio Eufrates pronunciado na sexta praga apocalíptica, indica enfraquecimento do poder religioso perseguidor, pois águas na profecia significam povos, nações, multidões e línguas (Ap 17:15), enquanto que o Eufrates por seu histórico passado, representa o paganismo. O poder religioso no final dos tempos teria apoio das multidões e do poder político global para perseguir o fiel e verdadeiro povo de Deus (Ap 12:17). Chegará um momento neste contexto de perseguição em que os povos descobrirão que estão perseguindo as pessoas erradas e que consequentemente estavam sendo enganadas. O momento crucial deste episódio é exatamente o período entre a quinta e sétima praga quando os dez mandamentos são apresentados no céu com indescritível clareza (Sl 50:6). Todos olham para o céu e observam com atenção cada palavra escrita e se apercebem dos enganos com que foram acometidos pelo falso sistema religioso. 

Os Reis do oriente representam a Divindade que sai do Céu com todas as miríades de anjos (Ap 8:1) para buscar o seu povo humilhado e perseguido aqui na Terra (Mt 24:30 e 31). O oriente representa a direção em que Cristo estará vindo e adentrando na Terra (Mt 24:27). Chegamos a esta conclusão por vários fatores: Os magos quando vieram ver Jesus em seu nascimento vieram do oriente, pois seguiam a estrela que apontava para o oriente, pois Jesus nasceu no lado do oriente (Mt 2:1 e 2). Os mandamentos de Deus foram dados no lado do oriente e para aguçar nossa curiosidade, nós adventistas acreditamos que Jesus descerá possívelmente pela constelação de órion, e por incrível que pareça, a constelação fica no lado do oriente. 

Esse será sem dúvida o maior acontecimento de toda a história deste planeta. Jesus Cristo vindo nas nuvens do céu com grande poder e glória e todo olho o verá (Ap 1:7; I Ts 4:16 e 17). 

Embora a igreja Adventista não aplique o rio Eufrates descrito em Apocalipse 16:12 como sendo literal, mesmo assim podemos reconhecer que diante da brevidade dos últimos eventos, o seu secamento literal poderia sim indicar um alerta para os que temem a Deus e estão se preparando para encontrar com o seu Senhor....Em breve estaremos presenciando o que sonhamos a tanto tempo em ver, o cumprimento de João 14:1-3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário