segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Com crítica à Igreja Católica, "Spotlight" vence Oscar de melhor filme


Apesar de "O Regresso" ter dominado as indicações, com 12 categorias, o Oscar de melhor filme foi para "Spotlight: Segredos Revelados". O filme narra com detalhes uma investigação jornalística do jornal "Boston Globe" que revelou os abusos sexuais a menores por padres da Igreja Católica. 

Ao subir ao palco, o produtor Michael Sugar disse que o filme "deu voz aos sobreviventes, e este Oscar amplifica essa voz que esperamos que se torne um coral que vai ressoar até o Vaticano. Papa Francisco, é hora de proteger as crianças e restaurar a fé. Obrigado". A também produtora Blye Pagon Faust falou sobre o trabalho jornalístico: "Não estaríamos aqui sem os esforços heroicos dos nossos repórteres. Eles não só produzem mudanças globais como também nos mostram a absoluta necessidade do jornalismo investigativo". 

Seguindo os passos de outros filmes sobre investigações jornalísticas – como "Todos os Homens do Presidente" –, o diretor, que assina o roteiro com Josh Singer, estrutura o longa na forma de um suspense. O filme de Tom McCarthy venceu também como melhor roteiro original e já havia ganhado o prêmio do Sindicato dos Atores (SAG Awards), um dos termômetros da temporada pré-Oscar.


O filme é baseado em uma história real – que deu origem ao livro, vencedor do Pulitzer –, escrito pelo mesmo time que participou da apuração do caso. Aos poucos, Walter Robinson (Michael Keaton) e sua equipe, composta pelos repórteres Mike Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Carroll (Brian d'Arcy James) vai descobrindo uma série de relatos de pedofilia praticados por membros da Igreja Católica na cidade de Boston, todos, devidamente acobertados.

Ao posicionar o espectador dentro da redação – e, principalmente, na rua, acompanhando a apuração e descobrindo os fatos ao lado dos jornalistas –, o filme não diz apenas da maneira como o jornalismo é feito (ou, pelo menos, deveria), mas da motivação profissional que justifica a denúncia da hipocrisia de uma parte da Igreja, da burocracia imposta pelos poderosos e, principalmente, do abuso decorrente da fragilidade socioeconômica dos mais desfavorecidos.

Com informações de UOL e AdoroCinema 

Nota: Assista ao vídeo apresentado pelo líder sul-americano, pastor Erton Köhler, que mostra a posição da Igreja Adventista do Sétimo Dia a respeito da pedofilia.(https://youtu.be/c5pgX6bN4Ac)

Nenhum comentário:

Postar um comentário