terça-feira, 15 de março de 2016

Rodrigo Hilbert, Malhação, Deus e o abate de animais para consumo


O apresentador Rodrigo Hilbert causou indignação nas redes sociais após o episódio de estreia da nova temporada de Tempero de Família, gravado em Santa Catarina e exibido na última quinta-feira, no canal GNT. Durante o programa de culinária, o apresentador ensinou a fazer um churrasco rústico de ovelha. Para isso, ele abateu um borrego de seis meses. A atração mostrou Hilbert capturando o animal, que ainda estava em fase de amamentação, mas não exibiu o momento em que o filhote foi degolado. A edição optou por exibir o sangue do borrego escorrendo até a bacia abaixo dele. Em seguida, Hilbert e um pecuarista carnearam todo o animal – retirando os órgãos internos, a cabeça e o pelo. Enquanto o fatiava, o apresentador comentou que o filhote era tão macio que parecia um sofá. Por fim, a carne foi temperada para o churrasco que se seguiu.

No episódio de Malhação da última sexta-feira, a Globo transmitiu uma cena igualmente lamentável, na qual três personagens fazem bullying com uma garota vegetariana, incentivando-a a comer carne com o argumento de ser ''delicioso''. Assista aqui.

Nossa cultura aceita que um animal seja criado para ser abatido. Sim, come-se animais por uma questão cultural. Isto significa que a sociedade aceita que este animal será desmamado precocemente, separado da sua mãe, receberá ração que o ajudará a ficar pronto para o abate em menos tempo e deixar a carne mais macia para o consumo, além de receber muitas vacinas e antibióticos. Além de nada saudável, homens e mulheres sustentam uma indústria que sobrevive e enriquece da crueldade de animais.

Você sabe o que é a carne de vitela ou baby beef? É a carne de bezerros com menos de 1 ano de idade, alimentados por uma dieta líquida carente de ferro, que substitui o leite nas primeiras semanas e, que depois é substituída por ração concentrada. Estes animais são criados confinados em baias individuais, onde mal conseguem exercer algumas atividades básicas como caminhar e se virar. Não podem tomar banho de sol. As barras das baias são se madeira, porque se fossem de ferro os animais as lamberiam de tanto que são deficientes. É cruel demais. E, se fosse com você?

Você pode ler mais sobre este assunto aqui. Na internet também é possível assistir os documentários “A Carne é Fraca” e “Terráqueos”. A questão que levanto neste post é ”Será que Deus faz vista grossa para este assunto? Será que ele não se importa com animais que ele criou com tanto amor?” Vamos ver o que diz a Palavra de Deus.
“A todo aquele que derramar sangue, tanto homem como animal, pedirei contas; a cada um pedirei contas da vida do seu próximo.” Gênesis 9:5
Quando Deus libertou o povo de Israel do Egito, pretendia que eles fossem diferentes dos outros povos, que testemunhassem de Deus através de sua vida, um exemplo para os outros povos. Deu-lhes o maná como alimento. Mas, o povo habituado com os costumes pagãos do Egito reclamava e o que pediam para comer?
“Deliberadamente puseram Deus à prova, exigindo o que desejavam comer. Duvidaram de Deus, dizendo: Poderá Deus preparar uma mesa no deserto? Sabemos que quando ele feriu a rocha a água brotou e jorrou em torrentes. Mas conseguirá também dar-nos de comer? Poderá suprir de carne o seu povo?” Salmos 78:18-20.
Quais foram as consequências de suas escolhas?
“O Senhor os ouviu e enfureceu-se; com fogo atacou Jacó, e sua ira levantou-se contra Israel, pois eles não creram em Deus nem confiaram no seu poder salvador. Contudo, ele deu ordens às nuvens e abriu as portas dos céus; fez chover maná para que o povo comesse, deu-lhe o pão dos céus. Os homens comeram o pão dos anjos; enviou-lhes comida à vontade. Enviou dos céus o vento oriental e pelo seu poder fez avançar o vento sul. Fez chover carne sobre eles como pó, bandos de aves como a areia da praia. Levou-as a cair dentro do acampamento, ao redor das suas tendas. Comeram à vontade, e assim ele satisfez o desejo deles. Mas, antes de saciarem o apetite, quando ainda tinham a comida na boca, acendeu-se contra eles a ira de Deus; e ele feriu de morte os mais fortes dentre eles, matando os jovens de Israel. A despeito disso tudo, continuaram pecando; não creram nos seus prodígios. Por isso ele encerrou os dias deles como um sopro e os anos deles em repentino pavor. Sempre que Deus os castigava com a morte, eles o buscavam; com fervor se voltavam de novo para ele. Lembravam-se de que Deus era a sua Rocha, de que o Deus Altíssimo era o seu Redentor. Com a boca o adulavam, com a língua o enganavam; o coração deles não era sincero; não foram fiéis à sua aliança. Contudo, ele foi misericordioso; perdoou-lhes as maldade se não os destruiu. Vez após vez conteve a sua ira, sem despertá-la totalmente.” Salmos 78:21-38
O Espírito de Profecia também trata deste assunto:
“Deus requeira supremo amor a Deus e amor imparcial ao próximo, o vasto alcance dos seus reclamos toca também às criaturas mudas que não podem expressar em palavras suas necessidades e sofrimentos. 'O jumento que é de teu irmão ou o seu boi não verás caídos no caminho e deles te esconderás; com ele os levantarás, sem falta.' (Dt 22:4). Aquele que ama a Deus, não somente amará o seu semelhante, mas considerará com terna compaixão as criaturas que Deus fez. Quando o Espírito de Deus está no homem, leva-o a aliviar o sofrimento antes que a criá-lo.” Beneficência Social, p. 48
“Deus deu aos nossos primeiros pais o alimento que pretendia que a humanidade comesse. Era contrário ao Seu plano que se tirasse a vida a qualquer criatura. Não devia haver morte no Éden. Os frutos das árvores do jardim eram o alimento que as necessidades do homem requeriam. Deus não deu ao homem permissão para comer alimento animal, senão depois do dilúvio. Fora destruído tudo que pudesse servir para a subsistência do homem, e diante da necessidade deste, o Senhor deu a Noé permissão de comer dos animais limpos que ele levara consigo na arca. Mas o alimento animal não era o artigo de alimentação mais saudável para o homem.” Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 373
“Não é tempo de que todos visem dispensar a carne na alimentação? Como podem aqueles que estão buscando tornar-se puros, refinados e santos a fim de poderem fruir a companhia dos anjos celestes, continuar a usar como alimento qualquer coisa que exerça tão nocivo efeito na alma e no corpo? Como podem eles tirar a vida às criaturas de Deus a fim de consumirem a carne como uma iguaria? Volvam eles antes à saudável e deliciosa comida dada ao homem no princípio, e a praticarem eles próprios e ensinarem a seus filhos, a misericórdia para com as mudas criaturas que Deus fez e colocou sob nosso domínio.“ A Ciência do Bom Viver, p. 317
“Os animais são muitas vezes transportados a longas distâncias e sujeitos a grandes sofrimentos para chegar ao mercado. Tirados dos verdes pastos e viajando por fatigantes quilômetros sobre cálidos e poentos caminhos, ou aglomerados em carros sujos, febris e exaustos, muitas vezes privados por muitas horas de alimento e água, as pobres criaturas são guiadas para a morte a fim de que seres humanos se banqueteiem com seu cadáver. 'Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma. (1Pd 2:11)'". A Ciência do Bom Viver, p. 314
Deus se importa com Suas criaturas. Ele as ama. Não devemos causar o sofrimento animal. Não devemos sustentar uma indústria que causa tanta morte e sofrimento. O nosso papel, dado a Deus no Éden, é cuidar, proteger as criaturas dEle.

O ser humano está cada dia mais frio e não se importa mais com a dor alheia. É preciso renunciar a tudo o que nos deixa frios e nos afasta de Deus.

Que possamos amar as criaturas de Deus e fazer a vontade do nosso Criador.

Com informações de InformaVeg, Tudo para Vegetarianos e Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...