terça-feira, 26 de julho de 2016

Dia dos Avós - Em respeito aos fios brancos


“Fiquem de pé na presença das pessoas idosas e as tratem com todo o respeito; e honrem a mim, o Deus de vocês.” (Levítico 19:32)
Desde que mudei de cidade para estudar, não moro mais com meus pais e, atualmente, vivo com uma amiga da igreja e sua avó de quase 90 anos. Confesso que, muitas vezes, a convivência é difícil. São quase 70 anos de diferença que se refletem em nossas opiniões, hábitos e gostos. O “conflito de gerações”, em diversas vezes, cansou-se e/ou me deixou irritada. Até que busquei na Palavra (nosso melhor manual de vida) e nela encontrei conselhos de como lidar com a situação.

Por intermédio da Bíblia entendi que devo respeitar a trajetória dos idosos, pois sua caminhada foi muito maior do que os poucos passos que eu já dei. Ainda não entendo muito da vida e, apesar das concepções diferentes, percebi mesmo que devo saber lidar com as experiências que ela teve e como isso moldou o seu caráter, tornando-a quem ela é hoje. Por isso, devo tratá-la com toda consideração e apreço.
"Como é comovente ver a mocidade e a velhice dependendo uma da outra, o jovem olhando ao idoso quanto aos conselhos e à sabedoria, e o ancião ao adolescente em busca de auxílio e simpatia! Assim é como devia ser. Deus quer que os jovens possuam tais atributos de caráter que encontrem prazer na amizade dos idosos, para se unirem nos queridos laços da afeição aos que se estão aproximando da sepultura." (Mente, Caráter e Personalidade 2, p. 746)
Mas o que esse texto tem a ver com você?

Talvez você não lide com idosos no dia a dia. Pode ser que sua única experiência seja visitar seus avós nos almoços de domingo e, nesses momentos, eles lhe pareçam fofos e amáveis. Todavia, pode ser que seu relacionamento com eles não tenha se aprofundado a ponto de ficarem visíveis os anseios, necessidades e tristezas que eles possuem. Um conselho: conheça seus avós, eles farão muita falta quando partirem. Mas é importante entender também que, como parte da Igreja, os idosos da sua comunidade também são sua responsabilidade.
"Não é melhor estabelecer instituições para cuidar dos idosos, para que eles fiquem juntos, na companhia uns dos outros. Nem eles devem ser mandados para fora do lar a fim de receberem cuidados. Que os membros de cada família ministrem aos próprios parentes. Quando isto não é possível, essa obra pertence à igreja, e deve ser aceita igualmente como dever e como privilégio. Todos os que têm o espírito de Cristo hão de considerar os débeis e idosos com especial respeito e ternura." (Mente, Caráter e Personalidade 2, p. 746)
Integrá-los da melhor forma possível, de maneira com que se sintam úteis na obra do Senhor nessa fase de suas vidas, é de extrema importância para o funcionamento de um Corpo bem estruturado, onde todos os membros são partes atuantes para o grande propósito pelo qual fomos chamados. 

É mesquinho e até certo ponto incoerente vivermos como se nunca fôssemos envelhecer ou tratar nossos velhos como se nunca fôssemos chegar a sua idade (eu espero que você tenha a honra de chegar!). A Igreja deve responsabilizar-se pela promoção de uma vida saudável, tanto espiritual como física e emocional, para todos os seus integrantes. Sabemos que as mudanças que a idade traz são difíceis de serem encaradas: a aposentadoria, o afastamento dos filhos, a perda da independência etc. E esses fatores podem levar à tristeza, depressão e solidão. Que nossas casas de oração sejam também ambientes de acolhimento e cura, e que as pessoas saibam valorizar cada pessoa e ver em cada um o seu potencial para o Reino.
"O mais terno interesse deve ser nutrido para com aqueles cujo interesse vital é vinculado à causa de Deus. Não obstante suas muitas enfermidades, esses obreiros possuem talentos que os qualificam para estar na sua sorte e lugar. Deus deseja que ocupem posições de liderança em Sua obra. Permaneceram fiéis em meio aos temporais e provas e acham-se entre os mais valiosos conselheiros. Quão gratos deveríamos ser por poderem eles ainda usar seus dons no serviço do Senhor!... Não demorará receberão vossa recompensa." (Testimonies, vol. 7, p. 287 e 288)
Não podemos encarar o envelhecimento como algo ruim e incapacitante, pois, apesar das limitações que a idade traz, Deus tem um propósito para o homem em todas as épocas da sua vida. 
“Agora, quando estou velho e de cabelos brancos, não me desampares, ó Deus, até que eu tenha anunciado a Tua força a esta geração e o Teu poder a todos os vindouros.” (Salmos 71:18)
Deus é poderoso para fazer o “velho” semear novos frutos. Para Ele, a idade jamais será um obstáculo de renovar sonhos, dar novos planos e proporcionar experiências mais profundas de relacionamento com Ele. A Bíblia apresenta a velhice como dignidade, experiência e sabedoria, e é dessa forma que decidi enxergar a minha “avó” adotiva, mesmo quando as diferenças quiserem causar conflitos. Aprendi que honrar a Deus significa buscar ter bons relacionamentos, colocar-me no lugar do outro, ter empatia e um coração perdoador e amável. Que como meu mestre e maior exemplo, eu possa ser justa para honrar a melhor idade dos que estão ao meu redor e, assim, por meio da minha vida, mostrar a importância deles para o Criador.
“O cabelo grisalho é uma coroa de esplendor, e se obtém mediante uma vida justa.” (Provérbios 16:31)
Aline Lacerda (via Minha Vida Cristã)

As inserções dos textos de Ellen G. White em verde são de autoria do blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...