segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Maior produção cinematográfica adventista estreia hoje no Brasil

Longa-metragem é considerado a maior produção audiovisual feita pela igreja. Além de ser divulgado pela rede de TV adventista, filme estará disponível para download na internet. Para baixar o arquivo, clique aqui.
Estreia na TV Novo Tempo hoje, 10 de outubro, uma das maiores produções audiovisuais feitas pela Igreja Adventista. O filme Tell The World, que em português será divulgado com o nome Como Tudo Começou, vai ser apresentado pela emissora em formato de série. O longa-metragem foi dividido em seis episódios, que serão veiculados diariamente, às 22h, até o próximo sábado, 15 de outubro. A TV adventista também fará apresentação única do longa-metragem no dia 22, às 15h, data que marca os 172 anos do grande desapontamento. [Na NET, o canal da TV Novo Tempo é o 184, na SKY 14, OI TV 214 e na Claro 184].

Produzido pelo Hope Channel, canal adventista da Austrália, o filme narra a história dos pioneiros do movimento adventista. O longa-metragem, que totalizou cinco milhões de dólares, contou com o maior elenco já envolvido em obras adventistas: 95 atores, 157 pessoas da equipe de apoio e mil figurantes. O projeto é a realização do sonho do ex-presidente da Igreja Adventista na Austrália, pastor Chester Stanley. O líder mundial da denominação, pastor Ted Wilson, afirmou que o filme “vai ser um tremendo encorajamento espiritual para o povo de Deus e o público em geral”.

Os espectadores poderão conhecer como foi o processo de descoberta e organização das doutrinas adventistas, os debates teológicos, a superação do desapontamento de 22 de outubro de 1844 e a inspiração divina para encontrar a verdade. A produção cinematográfica mostra também qual foi a importância do dom profético manifestado em Ellen White para o movimento. O filme é uma oportunidade para que as pessoas que não professam a fé adventista conheçam as raízes históricas da denominação.

Como sugere o pastor Rafael Rossi, líder do departamento de Comunicação da igreja na América do Sul, o filme poderá ser usado como ferramenta de apoio ao projeto “Eu Conheço a Minha História”. Além disso, ele destaca que “o alto nível da produção e o tema central do filme serão extremamente úteis para consolidar os membros da Igreja, discipular os novos na fé, apoiar os Pequenos Grupos e especialmente ajudar no preparo de novos candidatos ao batismo”.

Com o objetivo de alcançar maior número de pessoas, Como Tudo Começou ganhará versões dubladas em francês, espanhol e português, mas a previsão é de que nos próximos três anos o filme esteja legendado em mais de 30 idiomas.

A sede mundial da igreja, em Silver Spring, Maryland (EUA), é a responsável por distribuir o conteúdo em três formatos: clipes históricos curtos, a série de televisão de seis episódios e a transmissão online do filme. O plano é de que o longa-metragem também fique disponível em serviços de streaming como Netflix, iTunes, Amazon e Google Play.

Na opinião do pastor Rafael Rossi, todo o investimento feito nos últimos anos pela igreja em produções cinematográficas se justifica na quantidade de pessoas alcançadas. Conforme ele lembra, os números impressionantes da indústria cinematográfica atestam o potencial dessa ferramenta tecnológica. “As pessoas hoje estão mais abertas a ver do que a ler ou ouvir, além do fato de que as imagens são mais intensas para gravar mensagens na mente e no coração das pessoas”, acrescenta.

A edição de outubro da Revista Adventista traz reportagem especial sobre os esforços da igreja em alcançar esse público por meio de grandes produções audiovisuais. Na matéria intitulada “O evangelho através das lentes”, também é analisado o fato de que “investir na produção cinematográfica com o conteúdo que deve ser transmitido a cada nação, tribo e língua significa sair da zona de conforto e assumir riscos”.

No entanto, conforme ressalta o diretor mundial de Comunicação da igreja, pastor Williams Costa Jr., uma das fontes citadas na reportagem, ao transpor a fé para o audiovisual, é importante que a denominação se preocupe em contar histórias de maneira autêntica. “É importante que tenhamos a coragem de contar a história como ela aconteceu. Não deveríamos esconder as dúvidas, incertezas, erros, sofrimentos e tristezas. Deus incluiu todos os elementos positivos e negativos de seu povo quando inspirou a Bíblia. Devemos seguir seu exemplo. O filme Tell The World mostra exatamente isso na história de como a Igreja Adventista começou. Existem momentos fantásticos e momentos terríveis. Estão no filme porque aconteceram. Se formos verdadeiros em relação a esses princípios, também seremos verdadeiros em relação aos princípios da Bíblia”, conclui. Assista o filme:


[Com informações de Revista Adventista]

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...