domingo, 9 de outubro de 2016

SOS Haiti - ADRA ajuda famílias afetadas pelo furacão Matthew


Os efeitos do furacão Matthew não param e aumentam no Haiti, um dos países mais pobres do planeta, que já sofreu um terremoto devastador em 2010. Uma estimativa fala em mais de 877 mortos até agora. A ilha caribenha é o país mais afetado pela tempestade que chegou à categoria quatro. Cerca de 30 mil pessoas estão em abrigos improvisados em 12 municípios da região e cerca de 10 mil estão sem abrigo. Muitos relatos de contaminação por cólera já foram registrados. Os ventos causados pelo furacão chegaram a 120 quilômetros por hora.

A agência humanitária adventista, a ADRA Haiti, atua na região de Carrefour. Ali a agência fornece água, alimentos e kits de higiene para cerca de 800 famílias nas áreas mais afetadas do sul. Segundo o diretor da ADRA Haiti, Fritz Bissereth, há tratativas com entidades do Canadá, por exemplo, para garantir mais de 25 mil litros de água potável para as vítimas na parte sul do país. Bissereth comentou que “Deus preservou a equipe da ADRA para continuar ajudando as mais vulneráveis e necessitadas populações durante esse período difícil, pois Deus é bom”.

A passagem do furacão por outras regiões preocupa também. É o caso de Cuba. O pastor Aldo Perez, presidente da Igreja Adventista em Cuba, disse que centenas de pessoas procuraram abrigo na congregação de Baracoa. A igreja com capacidade para 500 membros foi construída pelo Maranatha Internacional nos anos 90. A congregação tem muros de concreto e um telhado sólido. “Nós somos agradecidos por essa construção da igreja ser capaz de servir como abrigo para muitas pessoas da comunidade”, afirma Perez.

A igreja em Maisi, uma das regiões rurais mais atingidas, sofreu a fúria do furacão Mateus. “Estamos gratos que a Igreja Adventista em Maisi atende a pessoas abrigadas entre as dezenas da comunidade antes da passagem do furacão”, disse Perez. A igreja foi recentemente estruturada para suportar ventos com força de furacão. O diretor da ADRA em Cuba, Daniel Pino, viajou mil km de Havana para Santiago de Cuba a fim de levar roupas e suprimentos para que sejam entregues em locais.

Também em Nassau, nas Bahamas, houve efeitos do furacão. A Igreja Adventista Hillview, em Nassau, abrigou dezenas de pessoas durante a tempestade. Leonardo Rahming, diretor da ADRA para a região atlântica do Caribe, saiu para verificar os dos danos em Nassau, Bahamas, mas a linhas elétricas danificadas, as inundações e os obstáculos nas estradas tornaram difícil o deslocamento.

Nós expressamos nossa simpatia pelos cidadãos que vivem nas áreas afetadas pelo furacão”, comentou o presidente da Igreja Adventista na América Central e Caribe, pastor Israel Leito. O presidente mundial adventista, pastor Ted Wilson, comentou que foi feita uma parada durante as reuniões mundiais adventistas para orar em favor das vítimas.

Já o pastor Erton Köhler, presidente da IASD em oito países sul-americanos, “é importante mencionar que como igreja no território da Divisão Sul-Americana estamos solidários ao sofrimento de nossos irmãos e da comunidade no Haiti, que tem sido tão afetada por calamidades nos últimos anos. Estamos orando, recebendo doações para encaminhar a eles e também doando de nossos próprios recursos como igreja para aliviar o sofrimento dos habitantes do país. Somos todos filhos do mesmo Deus e membros de uma mesma família. Quando parte da família sofre, todos sofremos, por isso é momento para nos unirmos todos porque juntos podemos fazer mais”, afirma Köhler. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...